Pular para o conteúdo principal

Sorriso

Esse sorriso que me anima
Como promessa que me cerca
Essa notícia que me enlaça
Sem nada
Sem pressa
Que me mantém e me liberta
Pra longe de um deserto
Melhor que ouro ou prata
Um romance tão antigo
Que se sente tão recente
Tão profundo e tranquilo
Às vezes, fogo
Às vezes, água
E como chama que não queima
Sempre sentido como nunca
Nunca sentido como antes
E como ondas que fascinam
Vistas com um novo olhar
Verde rasteiro bem distante
Tão longe, tão distante
Tão distante e sempre a ponto de encantar
Terra que dá lastro
Ar que se aproxima e enche com amor este lugar
Eterno
Duradouro
Um segundo em mil anos
Suspiro que não cessa
Sempre é tempo de te amar

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DesEncontro de Gêneros

Era uma vez, em um dia qualquer, num passado não tão distante; entretanto, quase esquecido
O Romantismo, ainda jovem, aliado ao Drama e às paixões da Aventura revolucionária ainda bem antes daquele emblemático dia 14, convencia a Ação de que o Terror, em sua fase de formação, participaria de tal distinto encontro, entretendo todos os mais dispostos e favoráveis às causas dos desbravadores oprimidos. É bem verdade que na incompleta capacidade de se expressar, somada à sua tímida experiência com assuntos do gênero, doses da Simpatia e do Afeto também seriam avistados passeando livremente pelo amplo e iluminado salão do baile ao som da grandiosa ópera moderna. Antigos elementos como o Lirismo Amoroso e Trovadoresco, que abririam caminhos repletos de requinte para o pomposo, maduro e controverso Classicismo, o qual declarava sua afinidade com o individualismo e com a valorização da beleza e elementos tão mais antigos, passando a enxergar em si próprio alguém que deveria buscar equilíbrio f…