Pular para o conteúdo principal

Centro Selvagem

Aquela brasa antiga colocava fogo em mim
Como um motor quente em velocidade máxima me enchendo de orgulho
Sua intensidade vermelha, vinda, de um centro ativo
Mesmo desligado, assim, nunca me deixou perdido
Como o som de um trovão que em seu maior movimento me deixou uma sensação
Tão selvagem e profunda dentro do meu peito como um ribombo
De um céu cinza e escuro, pesado e tão duro de evitar
Visto de uma ilha feita de verde e vida marrom
Você se sentiria segura sob o brilho de sua estrela
Amarela e clara, com um brilho que te faz chorar?
Você saberia o que vem da luz acesa pelo amor?
Você guardaria o presente que eu trouxe do céu pra você?

John Ny/João

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Encontro entre Gêneros

Encontro entre Gêneros Era uma vez: o Romantismo, ainda jovem, aliado ao Drama e às paixões da Aventura Revolucionária ( um excesso de entusiasmo) ainda bem antes daquele emblemático dia 14, convencia a Ação de que o Medo, ainda em sua fase de formação, participaria de tal distinto encontro, entretendo todos os mais dispostos e favoráveis às causas dos desbravadores oprimidos. É bem verdade que na incompleta capacidade de se expressar, somada à sua tímida experiência com assuntos do gênero, doses da Simpatia e do Afeto também seriam avistados passeando livremente pelo amplo e iluminado salão do baile ao som da grandiosa ópera moderna. Antigos elementos como o Lirismo Amoroso e Trovadoresco, também a princípio com uma pitada de requinte e cordialidade, abririam caminhos repletos de excelência e delicadeza para o pomposo, maduro e controverso Classicismo, o qual declarava sua afinidade com o individualismo e com a valorização da beleza e elementos tão mais antigos, passando a enxergar …