Pular para o conteúdo principal

O Banco Marrom

O Banco Marrom

Minha "mãe" disse: não fale com estranhos
Hoje eu estranho até saber falar
Ela me disse pra eu não ler gibis
Mas ainda sei o que é poder sonhar
Já sonhei em ir a parís
Hoje estou perto de me encantar
Com toda a beleza dessa natureza
Com todo o amor que pensei em encontrar
Com os jardins que estão aqui e alí
Com o banco marrom de frente pro mar
Com a aquarela que da vida traz vida
Com aquele vermelho que me faz delirar
E sabendo usar as palavras
Talvez eu dissesse um pouco de mim
Sentado em um banco marrom
Livre para poder partir
Para cidades faladas em livros
Para um jardim bem perto do mar
Com ávores e frutos diversos
Com flores e rosas sem espinhos
E quem sabe não irá demorar
Quem sabe isso já até aconteceu
Quem sabe não foi apenas um sonho
 E que bom que esse sonho foi "seu"

John Ny./João

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Strings

Strings,
Phrasing and its difficulty
Is not it all about it?
Now it´s clearer to see
Not for lack of a better description
Flats, sharp notes and many different keys
Outsides, not oddness, a colorful sonority
Something about the mastering of some pure technique
Strings vibration, their gauge and sound characteristics
Bending moves, sliding tricks
Unusual bars and their specific number of beats
Neither brain failure nor psychological issues
Useful details about what the word overcome means
Neither craziness nor lack of any spirituality
Scale switch from one key to another
Amazing chords, triads, major and minor scales
Greek modes, not madness as I first suspected
Staccato octaves, sixteen triplets
Vibrato... .... ....
And now I finally understand it
Something beyond and also about creativity
It is time I learnt about music