Pular para o conteúdo principal

Primavera dos Povos ( 1848/ por Johnny)

É alvorada, um oceano de alegrias
Período épico num turvo ciclo de Tragédias
O que enriquece e engrandece a humanidade
E que conduz a uma tarde de Verdade

É a claridade que se precisa pra enxergar
Um novo dia, novo trajeto a percorrer
Sem descansar numa lembrança recorrente
Que o amanhecer é agradável e vai voltar

E é alvorada o que te traz coragem
Disposição para fazer você pensar
Seguindo em frente enquanto há modo de se ver
O que te agrada sem te faltar tranquilidade

O entardecer, ruídos se aproximam
O anoitecer, e já não pode escutar
Se falta ânimo para que eu possa ficar firme
Sono profundo?
O amanhecer vai retornar

E vai voltar, a alvorada vai retornar
Um novo dia, seguindo rumo ao indefinido
Buscando sempre de um modo diferente
Um bom presente, o amor fraterno, inteligente


Johnny.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DesEncontro de Gêneros

Era uma vez, em um dia qualquer, num passado não tão distante; entretanto, quase esquecido
O Romantismo, ainda jovem, aliado ao Drama e às paixões da Aventura revolucionária ainda bem antes daquele emblemático dia 14, convencia a Ação de que o Terror, em sua fase de formação, participaria de tal distinto encontro, entretendo todos os mais dispostos e favoráveis às causas dos desbravadores oprimidos. É bem verdade que na incompleta capacidade de se expressar, somada à sua tímida experiência com assuntos do gênero, doses da Simpatia e do Afeto também seriam avistados passeando livremente pelo amplo e iluminado salão do baile ao som da grandiosa ópera moderna. Antigos elementos como o Lirismo Amoroso e Trovadoresco, que abririam caminhos repletos de requinte para o pomposo, maduro e controverso Classicismo, o qual declarava sua afinidade com o individualismo e com a valorização da beleza e elementos tão mais antigos, passando a enxergar em si próprio alguém que deveria buscar equilíbrio f…