Pular para o conteúdo principal

É Primavera ( Johnny.)

Talvez aprenda pra ser feliz ria da vida
Se mesmo em sonhos está ausente aquele amor
Ainda hoje tão diferente a partida
Um gosto amargo que alimenta aquela dor
E a primavera, ela em si, a estação nova
Sempre jovem e recente, é mesmo bela
Ainda hoje traz consigo a virtude
Que só o outono quer lançar pela janela
É primavera
Quem vai curtir, ver a paisagem
Rolar na grama, olhar imagens
Se o que ficou não faz sentido
Ainda é nossa a juventude
Com ela e em frente prosseguimos
No outono 
As folhas caem
Mas primavera,
O que compraz e traz abrigo
o belo e o simples
O gesto amigo
O beijo
O toque
O sorriso
Quem vai curtir
Ver a paisagem
Rolar na grama
Olhar imagens
Se o que ficou não faz sentido

É primavera

Johnny.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Encontro entre Gêneros

Encontro entre Gêneros Era uma vez: o Romantismo, ainda jovem, aliado ao Drama e às paixões da Aventura Revolucionária ( um excesso de entusiasmo) ainda bem antes daquele emblemático dia 14, convencia a Ação de que o Medo, ainda em sua fase de formação, participaria de tal distinto encontro, entretendo todos os mais dispostos e favoráveis às causas dos desbravadores oprimidos. É bem verdade que na incompleta capacidade de se expressar, somada à sua tímida experiência com assuntos do gênero, doses da Simpatia e do Afeto também seriam avistados passeando livremente pelo amplo e iluminado salão do baile ao som da grandiosa ópera moderna. Antigos elementos como o Lirismo Amoroso e Trovadoresco, também a princípio com uma pitada de requinte e cordialidade, abririam caminhos repletos de excelência e delicadeza para o pomposo, maduro e controverso Classicismo, o qual declarava sua afinidade com o individualismo e com a valorização da beleza e elementos tão mais antigos, passando a enxergar …