Pular para o conteúdo principal

O Melhor Que Existe Em Mim ( Johnny.)

Hoje tudo foi estranho
Pra encontrar eu me perdi
Tomei um pouco de coragem
Só pra dizer o que eu quis
Mas o que eu disse
Não sei quem queria ouvir

Sei que não devo correr risco
Procurar e me perder
Eu já não sei onde encontrar
Eu já não sei o que fazer
Não sei mais o que dizer
Nem se devo dizer mais

O tempo passa depressa
Eu nem posso acompanhar
Por um longo momento
Eu já não sei em que pensar
E se tudo em meu sonho
Irá se realizar

Tudo passa de pressa
Quase não dá pra perceber
Tive um sonho tão estranho
Que não consigo entender
Que de fato eu não sonhei
Que sonhava com você

O que há aqui não vou saber
Se não consigo descobrir
Quando estou pronto a ofercer
O melhor que existe em mim
Mais do que um simples gesto
Algo me trouxe um querer bem

Mesmo tão longe
Eu nunca fui de mais ninguém
E que eu consiga encontrar
Sei o que eu posso sentir
Sinto que sempre vou amar
E dou o melhor que existe em mim


Johnny.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Encontro entre Gêneros

Encontro entre Gêneros Era uma vez: o Romantismo, ainda jovem, aliado ao Drama e às paixões da Aventura Revolucionária ( um excesso de entusiasmo) ainda bem antes daquele emblemático dia 14, convencia a Ação de que o Medo, ainda em sua fase de formação, participaria de tal distinto encontro, entretendo todos os mais dispostos e favoráveis às causas dos desbravadores oprimidos. É bem verdade que na incompleta capacidade de se expressar, somada à sua tímida experiência com assuntos do gênero, doses da Simpatia e do Afeto também seriam avistados passeando livremente pelo amplo e iluminado salão do baile ao som da grandiosa ópera moderna. Antigos elementos como o Lirismo Amoroso e Trovadoresco, também a princípio com uma pitada de requinte e cordialidade, abririam caminhos repletos de excelência e delicadeza para o pomposo, maduro e controverso Classicismo, o qual declarava sua afinidade com o individualismo e com a valorização da beleza e elementos tão mais antigos, passando a enxergar …